Musicas

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Ninho vazio...

Meu Deus faz-me acreditar que existes.
Meus Deus quero acordar e deixar de ver aquele canto, onde reinou a alegria vazio!!!
Faz-me sentir se possível o dobro da dor, mas não quero ver o meu ninho vazio, quando as palhas ainda estão tão frescas. Pedi-te tantas vezes para me levares a mim, não se faz isto, a quem tem tanto amor para dar.
Não se provoca uma dor tão grande a quem Te ama tanto, porque me estás a retirar a alma, a chama está tão fraca, que um suspiro a pode apagar. Meu Deus acorda, por favor acorda, para eu conseguir dormir...já não sei se é noite ou dia. Já não sei se choro quando riu ou se riu quando choro, perdi completamente o norte, o eu... a vida!!!
Será possível que é desta forma que Tu tratas quem te quer, quem reza por ti todas as noites???
Mesmo assim não te abandono, e vou perguntar-te nas minhas orações, qual será a minha missão neste mundo.
Sofro horrores à procura da tua luz, do teu sinal. Estou desfeita por dentro, sinto-me como um rio sem água, enlameada por dentro e por fora.
Arrancaste-me  as entranhas, deixaste-me vazia.
O meu olhar fere para quem olho, mas eu apenas quero acreditar, que a minha vida está ali à esquina.
Que o meu ninho não vai ficar vazio, pois as palhas ainda estão frescas...

Dedico este texto à minha mana Ana Maria Vilas e à minha sobrinha Mariamo Rafiq Dada, nunca deixem secar as palhas, pois os vossos ninhos...estão nos vossos corações, e nunca estão vazios. Dois anjos brincam de mão dada e olham por vós!!!

#AnaMariaVilas

quarta-feira, 23 de julho de 2014

A dor...

Tristeza, dor, impotência não sei qual é a palavra que mais se adequa ao momento!!!
Uma pessoa como eu que sinto coragem suficiente para enfrentar qualquer cenário, por mais duro que seja. Sinto uma impotência tremenda, rodeado por seis crianças uma delas o meu filhote, doentes!!! Uma dúzia de país com o coração nas mãos, e vários técnicos homens e mulheres, que cuidam das asas dos nossos anjos!!!
Sou agente da PSP, uma profissão que adoro pois da-me a possibilidade de poder ajudar os outros. Mas...quando me vejo numa situação como esta, fico completamente desarmado.
Todos os anjinhos gritam pelas suas mães, mesmo com elas deitadas junto deles.
Mãe, palavra mais rica do dicionário,  não percebo um mundo onde tão mal se trata quem assegura a continuidade desse mesmo mundo!!!! O que será preciso para patrões, chefes, políticos lhes darem o devido lugar que elas merecem??? Mais uma criança grita mãe, e a mãe apesar de destruída por dentro a pensar se amanhã ainda terá emprego, diz com uma calma que me gela. Estou aqui bebé, dorme!!!!
Não me obriguem a viver num mundo, sem corações meigos como estes corações de mãe.
É uma coisa que não se aprende na escola, mas devia, como amar a nossa mãe e a dos outros. Só damos valor às coisas quando as amamos, e existe tanta falta de amor neste mundo!!! Desde que sou pai que aprendi uma coisa, as mães não dormem descansam. Estão sempre num grau de prontidão tremendo, muitos furos acima de qualquer força especial!!! Mãe amo-te...

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Conversa a 2 com luz...

Por aqui???
Hoje fui eu apanhado de surpresa, gostas do que estou a ouvir, Adele - Live at itunes Festival London 2011?
Não costumo falar durante o dia, sou uma espécie de morcego das palavras apenas à noite elas emitem os seus sinais, e eu deixo os meus sentidos flutuar!!
Não, não vás, a luz do dia não vai ofuscar os nossos olhares, nós não podemos permitir isso.
Durante o dia os meus rituais são um pouco diferentes, café??? Tenho uns bolinhos de côco.
Vamos juntos folhear os nossos olhares em busca de algumas palavras, para nos sentarmos nelas e partirmos em busca das estrelas que agora lá não estão.
O teu olhar...sorri, e o meu coração chora. Estranho, sim um pouco.
Chora por te fazer sorrir, um choro de conquista de viagem temporal, se não conhecesse bem aquele que me faz acordar todos os dias, diria que estava apaixonado.
O sentimento é muito parecido ao das conquistas, e eu sinto que juntos conquistamos esse sorriso.
Gostas dos bolinhos??? Comprei porque me fizeram lembrar o tom da tua pele, os pedacinhos de côco as tuas primeiras lágrimas.
Durante o dia nunca pensei que viesses, mas fico feliz por partilhar a luz contigo, o brilho dos teus olhos é diferente, e mostram mais um pouco. Mostram que também amas, que viajas sozinha e hoje nos encontramos por aqui.
Será que estamos a sonhar, será que não estás aqui??? Estarei eu no teu sonho ou tu no meu???
Que dizes??? Não estamos a sonhar, afinal tu falas!!
É bom ouvir as tuas palavras, nos meus pensamentos tentava encontrar uma voz que encaixasse no teu olhar, nos teus movimentos.
Obrigado eu também gosto muito de côco, e contigo aqui fica ainda mais especial o sabor.
Voltaste para me mostrares o teu tom e eu fico muito feliz, assim podemos partilhar melhor os aromas das palavras. Logo à noite vou ficar sentado nas nossas estrelas ou vais aparecer???
Não vás ainda não bebes-te o café, o bolo de côco... não gostas????
Não me disseste o teu nome...

Conversa a 2 depois do primeiro suspiro...

Sabia que vinhas, hoje escolhi eu o chá, frutos vermelhos gostas? Sempre com um pouco de mel, gosto do mel porque ele funciona para as palavras como a teia de aranha para os insectos. Que achas, será hoje que trocamos as primeiras palavras???
Hoje estou a ouvir Corey Harris, a primeira encaixa bem na nossa conversa" You Got to move". Achas estranho ter mudado do piano para a viola? Por acaso até eu achei um pouco estranho, mas acho que é pela voz do Corey. Sabes que certas pessoas quando cantam o tom da sua voz, alimenta a outras. As cordas também me prendem um pouco, o puxar das cordas, como eu puxo pelas tuas palavras, o deslizar dos dedos fazem lembrar-me dos nossos passos de dança.
Os teus olhos estão um pouco mais abertos hoje, e noto que já colocaste um pouco de creme nos teus lábios. Estamos a começar a viver no mesmo espaço, e a sentir os mesmos aromas. Sabes que isso é muito bom para quem estava fechada dentro de si há poucas horas, sentia em cada inspiração tua um medo profundo de ser a última. Mas... não te preocupes estou aqui para respirar contigo, nunca mais vais estar só.
Bebe mais um pouco de chá e prova estes bolinhos com canela, cuidado ainda estão quentes. Gosto de sentir dentro de mim esta explosão de sabores, dos frutos vermelhos, da canela e do mel.
As palavras não fogem muito a isso, entrelaçam-se e rodopiam dentro de nós, esperando atingir os outros com a melodia desejada, Sei que adoras palavras, sons e também sei que te achas bela, pois a forma como passas as mãos pelo cabelo enquanto falamos, mostra o carinho com que te cuidas.
Será que hoje nasceram lágrimas nos teus olhos, ou pela primeira vez em tanto tempo, conseguiram ficar retidas no pensamento da nossa última noite??? Foi uma noite bastante agradável, um pouco silenciosa mas eu senti que os nossos olhos falaram, falaram, mas guardam em segredo.
Já viste como está a lua? Grande, linda e silenciosa talvez devessemos aprender alguma coisa com ela, será que vais ser como ela, voltar todos os dias em silêncio?
Acho que já me estou a habituar, mas ao mesmo tempo que gosto de estar contigo, também começo a ter alguns receios, hoje vieste meio minuto mais tarde e dei por mim a contar os segundos.
Porque estás descalça??? Fazes-me lembrar uma amiga bailarina, que adorava dançar descalça sobre folhas de plátano. Não acho que seja estranho, eu gosto de chá!!!
Olha pela janela e conta as estrelas da mais clara para a direita, quando chegares à sétima estrela pára, as duas seguintes somos nós, assim quando eu não estiver aqui, estou ali. Acho que assim nunca estaremos sós.
Foi bom ver que escolhi bem a musica, pois os teus dedos ainda não pararam de marcar o ritmo, estás mais calma?? Vejo que apesar de um longo dia de trabalho, hoje estás mais leve.
Voltas amanhã???

domingo, 13 de julho de 2014

Conversa a 2...

Olá estás triste???
Não posso ver os teus olhos, nem sentir a tua respiração mas...a forma como passas e repassas tudo o que consegues ver, diz-me que apenas estás aqui porque não consegues estar onde querias. Estás só apesar de teres companhia na divisão ao lado, precisas de falar de gritar e não o fazes. Não o fazes porque estás fechada dentro de ti, como um pequeno armário e o pior, é que procuras diariamente a chave e não a encontras.
Vai fazer um chá, para mim pode ser de limão com mel, se não tiveres não faz mal, tráz um copo de água.
Agora senta-te e olha para os meus olhos, eles não vão a nenhum lado sem os teus e podes começar a falar.
Eu sei que não é fácil, pois não nos conhecemos de lado nenhum. Mas eu sei que tens estado desse lado, sei que os meus textos te fazem chorar, sei que pensas que eu sofro, pela maneira como as minhas palavras se unem em textos um pouco tristes mas não, muitas das vezes estou a pensar em ti e no teu sofrimento.
Perguntas como é possível???
Para mim basta fechar os olhos e viajar, viajo e encontro pessoas como tu. Não te esgotes sozinha, bebe mais um pouco do nosso chá e ao beberes sente o mel. Pode parecer uma coisa simples, mas não, neste mundo nada é simples, por isso estás aqui comigo. Abre as portas do teu coração, e diz-me porque te machucas tanto, porque mordes tanta vez esse lábio em vez de lhe colocar creme, porque choras quando devias de sorrir. Estou aqui...não vou a nenhum lado enquanto as palavras não começarem a sair da tua boca, um suspiro, em poucos minutos de conversa e já te consegui arrancar um suspiro.
Estou feliz a minha viagem não foi em vão, vejo que continuas a olhar para mim, o que também não é mau sinal. Estou a ver  um leve sorriso a querer sair, não o prendas ou ele pode ficar escondido eternamente.
As tuas mãos parecem dançar, o que dançam sabes dizer-me? Não pode ser uma melodia muito rápida pois, os teus pés estão presos. Inspira fundo, solta os ombros, o cabelo já está solto, agora mexe suavemente os dedos dos pés, levanta o calcanhar e deixas os joelhos ajudarem a marcar o ritmo mexe as ancas suavemente e imagina que estas a ouvir o mesmo que eu " 90 Minute Piano music Playlist-Background instrumental Music- Sean Beeson, agora sim tudo está mais fácil.
Imagina quem está a tocar e o gosto que tem pela sua melodia, imagina que és tu, e o gosto que podes ter por viver a tua vida.
Agarra a chave, sim não digas que não pois tu sempre soubeste onde ela estava, pois passaste metade da tua vida a olhar para ela. Agora dança a musica da tua vida e viaja nas teclas do piano, e sorri pois tens um sorriso maravilhosamente belo.
Hoje não te consegui arrancar uma palavra, mas vou estar aqui, nem que seja para mais um suspiro, e não vou esquecer estes passos de dança, de uma musica que passa a ser nossa.
Adeus

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Recomeço...

Estava eu ali pendurada, a baloiçar ao sabor do vento, ao sabor do tempo.
Estava eu ali, ou pelo menos pensava que estava pois sentir já não sentia nada, não sei se é tristeza isto que me envolve, nem sei se é dor pois tal é a dormência do meu corpo.
Olho para o céu e sinto um desejo profundo de me transformar numa borboleta, e poder voar contra o sol e...simplesmente desaparecer. As nuvens dançam  abraçam-me o pensamento, e fazem-me aquela cama em que eu adormecia na minha infância.
Onde estou eu? Não é fácil viver sem saber onde estou, dou por mim a pensar em todos os momentos mágicos que vivi, contigo, com o João, o Manuel, a Bianca, o Francisco e tantos outros que fizeram parte da minha carapaça.
Agora a minha pele está frágil, perdeu a batalha com o tempo, perdeu uma luta que travou comigo, o meu cabelo deixou de brilhar ao sol, as minhas mãos tremem os meus pés já não dançam.
Após um baloiçar mais forte caí e senti uma leveza tremenda, uma calma enorme, um aconchegar terno e carinhoso, como aquele que a minha mãe me dava enrolada no seu xaile. Senti que esta queda me levantou e que ali estava eu pronta para acordar para a vida, para os meus sonhos, para o João, o Manuel, a Bianca, o Francisco para todos mas, em especial para mim.
O meu cabelo começou a brilhar, as minhas mãos deixaram de tremer, e eu comecei a dançar, a viver.
Agora sou uma borboleta e quero voar, voar para a vida...

Amizade ll...

Existem coisas que não se misturam tipo o azeite e a agua, outras que brincam eternamente ás escondidas como é o caso da lua e do sol, também temos as que se abraçam eternamente , os rios e o mar!!!
Existe pessoas que conseguem contrariar as leis da física, e fazer coisas que até então se julgavam impossíveis, a essas pessoas chamamos amigos.
Conseguem estar mesmo não estando, conseguem ser a nossa lua e o nosso sol ao mesmo tempo, conseguem abraçar-nos eternamente, e serem o nosso rio e o nosso mar.
Na minha opinião a madrinha da magia é a amizade, pois mesmo de olhos bem abertos conseguimos ser sempre surpreendidos!! Podia ficar uma vida a falar de magia, de amizade ou de amizade, magia, pois é ai que está a chave do segredo, é por isso que nos sentimos sufocados quando perdemos um amigo.
Eu já senti isso tal como tu que estas a ler, o ar saiu dos nossos pulmões, as palavras fugiram, os nossos olhos ficaram fundos, vazios. Demos por nós a caminhar numa gruta sem fundo, sem luz, sem vida.
Amizade... eu sei que és como eu, que muitas vezes tens dificuldade em dar o passo seguinte com medo de a vires a perder, ou então tratas tudo e todos por amigo, para retirares o verdadeiro significado da palavra.
Eu sei que tens um coração doce como o meu, que de tão doce que é se torna frágil. Um coração frágil facilmente é destruído, por isso faz como eu, não retires significado a essa palavra tão bela.
As armas dos amigos são sempre as mais afiadas, as palavras com a maior das facilidades se transformam em punhais, o olhar em chamas e o mais leve dos empurrões na maior das tempestades.
É por isso que eu te estimo, é por isso que eu, ao longo de uma conversa te trato tantas vezes por amigo, para que sintas que eu estou ali para tudo,e que não te peço nada...

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Coração...

Parti numa barcarola em busca do que perdi, o mar estava revolto tanto como os meus pensamentos. Anoiteceu e eu coberta por uma capa de sal a mesma capa que escondia os meus tormentos, que me separava daqueles que gostam de mim tal como eu gosto deles mas... 
Eu não consigo afastar estas ondas enormes que me cobrem, o sol tenta romper e eu continuo fechada no meio da neblina, onde andas, onde te escondes-te, eu quero voltar mas não o consigo voltar sem ti. Eu quero romper esta capa de sal, mas não tenho forças, preciso de um sinal de um som, de...já nem chorar consigo estou seca estou derrubada, como uma árvore que levou com os ventos de norte uma vida inteira. Como posso eu regressar se tu eras o meu norte, não existe vida sem um norte. Como posso eu viver sem vida, sem a luz dos teus olhos, aparece trepando estas ondas. Dou tudo por um adeus, pois nem isso me deste, dou tudo pelas nossas brigas, pelas longas horas que ficavas ausente. Dou tudo por pouco, que é mais que nada!!!!
Dou comigo a fazer jogos a dois que tu querias fazer e que eu não achava graça, a dar longos passeios junto ao rio que antes te dizia que não gostava!!! Foi uma vida cheia de respostas negativas, de lágrimas sem sentido, que eu agora quero libertar e já não as tenho.
Não sei se foi uma vida, pois eu não te deixei viver eu não vivi. Tinha o meu coração preso a um tipo de amor que só eu vivia, tu vivias como um pássaro numa gaiola que queria gritar mas, para não me magoares cantavas de noite e de dia.
Ate na partida, acordei contigo frio a meu lado, tinhas um sorriso lindo nos lábios e no papel que estava junto a ti, uma única palavra... vive!!!!

quarta-feira, 2 de julho de 2014

O nosso degrau...

O rio secou as flores murcharam, a chuva essa não, não pára e não deixa de inundar os meus olhos que teimam em fechar-se para viver todos os momentos, todos os momentos que eu esperava não reviver mas sim viver.
Não sei qual o motivo que leva o meu coração a bater, os meus lábios quando teimam em tentar sorrir tremem, tremem, tremem tanto num bailado a dois, sem ritmo sem sequência, sem vontade. Não quero a noite, não quero a esperança não quero nada quero-te apenas a ti, ouvir o teu sorriso as tuas histórias, sentir o teu cheiro que teima em partir. Esta chuva, esta maldita chuva que não me abandona, que teima em regar uma flor que está tão seca que nenhuma água deste mundo poderia fazer mudar o seu rumo.
Volta estou aqui naquele degrau em que tantas vezes te dei colo, naquele degrau no qual fiquei a primeira vez que foste para a escola, naquele degrau em que te vi chegar com a primeira grande paixão.
Vou ficar aqui, tu sabes isso tu sempre soubeste isso, que ingrata é esta passagem quando quem devia de passar devagar passa a andar passa a correr. Não vou tentar levantar-me pois nem as minhas pernas deixavam, nem eu quero. Quero ouvir aqueles sapatos de sola que entoavam a rua, e me diziam que tu ai vinhas e que voltavas a saltar para o meu... para o teu colo!!!
Como é possível alguém partir sem dizer um adeus, sem ouvir um amo-te, sem deixar o seu cheiro...